Você realmente está com depressão? Cuidado!

Essa tristeza e esse sentimento de desesperança simplesmente não desaparecem. Isto está afetando seu trabalho e sua vida. Parece depressão. Mas, poderia ser alguma coisa mais?

Muitas pessoas com depressão apresentam também um certo grau de ansiedade, ansiedade esta que vai além da tensão típica, normal, que se enfrenta nos desafios da vida diária. Nestas pessoas os devastadores sentimentos de preocupação e medo são constantes – com pensamentos obsessivos, sentimento de problemas para dormir, palpitações cardíacas, frio e mãos úmidas.

“Frequentemente, nós encontramos nessas pessoas mais de um distúrbio – tanto depressão quanto ansiedade” – diz Charles Goodstein, médico e professo de psiquiatria na New York University School of Medicine. “Na realidade, é difícil encontrar pacientes depressivos que também não sejam ansiosos. É igualmente difícil encontrar pessoas que sofram de ansiedade e que não sofra de depressão.

Distúrbio do Comportamento Similar a Depressão

De fato, tristeza, ansiedade e depressão são sempre ativados por eventos da vida, e seus sintomas não são facilmente separáveis, diz Andrea Fagiolini, médica, psiquiatra, diretora do Bipolar Center, na University of Pittsburgh School of Medicine.

“Vemos isto frequentemente,” conta ela. “Problemas financeiros, de relacionamento e familiares, todos eles, podem disparar distúrbios de ansiedade e tristeza, assim, nos consideramos que estes sentimentos são normais. Eles não são normais quando são extremamente intensos, quando prejudicam nosso funcionamento diário, quando afetam nossa qualidade de vida. Quando tudo isto acontece, torna-se difícil resolver o problema original, que causou a depressão.”

Adicionalmente à ansiedade e à depressão, algo mais pode estar acontecendo: um distúrbio bipolar. Este é um distúrbio que envolve mudanças no comportamento da pessoa, que vai desde a depressão severa até a euforia – com crescente inquietação, dificuldade de concentração, sentimento de perseguição, decisões impulsivas, afobação, e baixo discernimento. Em muitos casos há comportamento normal entre as fases.

“Ansiedade é quase sempre parte de um distúrbio bipolar,” conta Fagiolini. “Não é apenas difícil distinguir ansiedade e ueforia, às vezes é impossível.

Antidepressivo Nem Sempre é o Melhor.

Por cauda da dificuldade de diagnosticar os distúrbios do comportamento, é importante falar francamente com o seu médico sobre o que você vem sentindo. E também crucial que o seu médico tome o tempo necessário para fazer todas a perguntas. Goodstein diz: “ Muitos vão antes a um clínico geral por estarem se sentindo depressivos e pensarem que podem precisar de um ante depressivo. Mas se o(a) médico(a) estiver muito ocupado(a), ele(a) não poderá fazer uma boa avaliação.”

Nestas circunstâncias, um ante depressivo pode ser prescrito – embora possa ser ou não a escolha correta. “Ante depressivos são usados para tratar tanto ansiedade quanto depressão. Entretanto, alguém com distúrbio bipolar precisa de um tipo diferente de droga – um estabilizador comportamental e ante euforia.,” conta Fagiolini. Existem diversas drogas para esta finalidade, como o lítio e drogas ante compulsivas.

O perigo: “Dando ante depressivo para alguém com distúrbio bipolar pode deflagrar episódios de euforia,” explicou o médico. “Estes episódios podem ser perigosos por que você pode estar com pouca capacidade de discernimento, portanto tende o tomar mais droga ante depressiva. Há um alto risco de comportamento de alto risco.

O Tratamento de Distúrbio do Comportamento é Demorado.

O que é mais importante, dizem os psiquiatras, é reconhecer que algo está errado. Então visitar ao seu médico regularmente.

“É um bom sinal se o seu médico quiser vê-lo(a) mais de uma vez antes de receitar qualquer coisa. È melhor que seu médico queira vê-lo(a) regularmente que receitar uma droga e dizer ‘volte em seis meses para uma reavaliação’,” disse Goodstein.

Considerando que o distúrbio bipolar é um distúrbio que acontece, mas que nem sempre é evidente o National Institute of Mental Health dos EE UU recomenda um tratamento preventivo em longo prazo. O instituto ressalta que a combinação do tratamento de medicação com psicoterapia funciona melhor para manter o distúrbio sob controle ao longo do tempo.

Com a maioria das pessoas, “as coisas são mais complicadas do que parecem na primeira consulta,” disse Goodstein. “Quase sempre, há alguma coisa a mais acontecendo, e o médico simplesmente não ter conhecimento em uma consulta. É errado se eles pensam que podem.”

É importante receber tratamento para os distúrbios do comportamento, porque eles podem afetar sua qualidade de vida – assim como a das pessoas que lhe rodeiam. Goodstein completa: “Quando você está deprimido(a) – por qualquer razão – você não se importa com você mesmo. Você não se importa com as pessoas em sua volta. E sempre, você não tem motivação para procurar ajuda porque você se sente sem esperanças. Você pode pensar que não há jeito de resolver seu problema. Mas isto não é verdade. Você pode tratar sua depressão, então estará habilitado a encontrar a solução dos seu problemas”